sábado, 18 de abril de 2015

Entrevista com Lancelott Martins, um craque das HQs Brasileiras!

Lancelott Martins,  é destes entusiastas dos quadrinhos que nos fazem resdescobrir a todo o momento o porque os quadrinhos são tão legais e por que gostamos deles, atuando como um estudioso, roteirista, ilustrador e criador de personagens fortes e originais para os quadrinhos brasileiros, ele é o criador do catálogo dos Super heróis Brasileiros e um unificador de talentos das Hq´s!
Confira nossa superentrevista com este talentoso artista!

1- Quando começou sua paixão por quadrinhos e mais especificamente pelos  super- heróis nacionais?
Lancelott - Há muito tempo...  Conhecí os quadrinhos pelo lado lúdico do Bem contra o Mal sem muitas explicações científicas, mas que nos encantavam! Conheci Batman e Robin, Fantasma, Mandrake, Tarzan, Jim das Selvas, Príncipe Valente, enfim – Bob Kane, Lee Falk, Foster, Raymond e outros feras e isso foi basicamente uma escola que promoveu minha curiosidade sobre esta fantasia. Tanto que nos idos de 80 editei um fanzine denominado QUERELA ( de pouca tiragem) mas já com a vertente de publicar criações nacionais, acho que daí começou a minha paixão muito embora, já década de 60, consumia tudo que era produzido pelas editoras nacionais.


2- Qual sua visão particular sobre eles e como vê o panorama deste gênero hoje em dia?
Lancelott - Muito se fala de um “quadrinho brasileiro”, estereotipado e até com certo “bairrismo” de que “super-herói” não é gênero para se produzir no Brasil, como se não fosse este mesmo gênero, lido e ou até mesmo quisto pelos leitores brasileiros, ledo engano... Nossa formação foi nos comics, e ainda hoje consumimos toneladas de papel de quadrinhos de super-heróis vindo de fora e isso é não gostar do gênero?!  Sempre haverá espaço, porque sempre existirão nichos de leitores ávidos por um viés dessa forma de arte.
Para exemplificar, basta ver o Necronauta do Danilo Beyruth e até mesmo o Astronauta do Maurício de Souza que não deixam nada a desejar às produções dos comics entre outras produções independentes que estão nos financiamentos coletivos. O mundo precisa de super-heróis...ainda!
3- Voce também é criador de alguns personagens bem originais fale sobre eles!
Lancelott - Sim... Busquei no Candomblé, o Orixá EXÚ, um Deus do Panteão Afro, um dos mais imprescindíveis para existência dos tantos outros, que somente, através dele, teria a “permissão” para “viajar” e ou se ausentar de ORUN e assim fazerem contatos com os humanos. Ele, o Guardião de Todos os Caminhos, A Esfera que anda para trás e para frente. A despeito dele, estamos produzindo uma HQ escrita pelo excelente roteirista Leonardo Santana, com a arte de Bruno Lima. Ora, se os americanos trouxeram Thor dos nórdicos porque não, podemos trazer EXÚ? Isso é Brasilidade... Iniciamos também duas HQS de SETE ESTRELAS, que é um vaqueiro morto e que passa a atuar como um mediador e ou agente da justiça. Ele é um fantasma no gênero cordel, com toda àquela mitologia... Uma das HQ’s do SETE ESTRELAS está sendo produzida em cores com roteiro e arte de Bruno Lima e a outra com roteiro de Maurício Ado e arte de Gabriel Santana.


4- E como roteirista quais seus trabalhos mais relevantes e o que esta fazendo atualmente?
Lancelott - Mormente estou focado do PROJETO ENCONTROS que é uma grande abordagem da história do Quadrinho Brasileiro... Neste projeto, que é um “passeio” por várias “eras” da nossa memória icônica muito esquecida e ou não lembrada mesmo, procuro mostrar um pouco do que existiu nessa forma de literatura, abordando personagens dos idos de 1900 a década 60. Apesar de ser uma mega aventura, é antes de tudo uma obra enciclopédica. A grande maioria dos personagens clássicos aparecerão no máximo numa página e não terão ação direta do desfecho da aventura. Os personagens que de fato atuarão serão os mais contemporâneos do meio independente.
A HQ será, antes de tudo uma paródia sobre a existência e o “desaparecimento” dos heróis, um misto de realidade do porquê nossos heróis “morrem” e somem. Como se trata de um empreendimento autoral e às minhas expensas, o ritmo é conforme mesmo minhas posses... ahahah!!! Mas, este Projeto não viria a existir sem a presença de dois grandes artistas, que na verdade são parceiros, os maranhenses Rom Freire e Zilson Costa, artistas consagrados e com trabalhos até para os comics. A qualidade do projeto está diretamente ligada às penas destes dois grandes parceiros.    



 5- Seu site HQ Quadrinhos se tornou um site de pesquisa e referência sobre os quadrinhos e voce se tornou conhecido por catalogar todos os super heróis e heróis dos quadrinhos nacionais nele fale sobre o trabalho!
Lancelott - Bem, foi um pouco de necessidade... Quando iniciei o blog HQ  Quadrinhos em 2008, estava coletando/catalogando informações justo sobre o quadrinho brasileiro e, pouco e ou quase nada tinha sobre os personagens, aqui e ali, muito esparsamente. Resolvi então fazer este Catálogo com pequenas fichas mnemônicas dos mais diversos heróis do quadrinho brasileiro e de diferentes épocas. Depois, transformei estas informações em uma Edição Digital para download free disponível para qualquer pesquisador. A Edição Digital tem milhares de downloads, o que me deixa ciente de sua utilidade. Fico feliz.                                        

6- O personagem Catalogador criado por você não é mera coincidência não? ( rsrsrsrs )
Lancelott - É verdade...  O Catalogador nasceu dessa gênese de “catalogar”, isto é da realidade para a ficção. Tem um pouco da “semelhança”, claro, mais “heróica”..ahahah!!!

7- Voce lançará o novo Catálogo dos heróis Brasileiros? Fale-nos um pouco sobre este trabalho!
Lancelott - O Catálogo de Heróis Brasileiros será impresso e lançado em dois volumes, é um projeto em andamento e com produção francesa. Será em duas línguas – português e francês. Novas artes específicas para o Catálogo estão a cargo do artista Rom Freire e novos textos revisados e corrigidos. Como se trata de uma ação editorial em formatação eu não tenho maiores detalhes.  A previsão para o primeiro volume é para meados do segundo semestre deste ano.                      

8- Qual sua visão sobre o gênero herói no Brasil?
Lancelott - Como disse, todos os gêneros têm seus nichos e fãs... No Brasil, como nos mais diversos países, a aventura, o lúdico, sempre foram tempero dos sonhos dos ávidos leitores de quadrinhos.

Não vejo uma área/gênero específica como chave para o sucesso deste ou daquele personagem. Acho que uma boa HQ resolve a questão...

9- Quais os artistas dos quadrinhos que mais lhe influenciam?
Lancelott - Sou da escola mais antiga...Curti muito Bob Kane, Lee Falk, Raymond e Foster. Copiei muito Hogarth e aquele desenhista do Fantasma, o Bill Lignante.


10- O que destacaria dos quadrinhos que leu ultimamente?
Lancelott - Todos que foram publicados pela Equipe do Maurício de Souza na nova leitura, feitos por incríveis valores brasileiros. Ví que temos um potencial fantástico e quiçá, tivéssemos uma Editora que apóiasse, fora desses eventos, uma produção verde e amarela com mais frequência. Dá-se para perceber que nossas potencialidades, quer sejam nos roteiros e na arte sequencial, tem suficiência para boas histórias. Destaco estas produções como uma amostragem do que se pode fazer no Brasil com a ajuda de uma grande editora... Fora estas, outras tantas com muito suor, com igual poder de encantamento, foram feitas pelos colegas do meio independente, umas autorais e outras com financiamento coletivo.                                                                                                                              

11- Qual sua visão sobre as hq´s digitais?
Lancelott - Um meio... No meu tempo foram os mimeógrafos... Hoje a internet! Um nicho! Um mercado que pode ser para divulgação, venda e ou previews... Eu mesmo tenho feito algumas digitais.

12- Grato pela entrevista Lancelott, sucesso e o espaço é seu!
Lancelott - Pôxa Edú! Eu é que agradeço. Conheço seu trabalho de longas datas com o Quadrinho Brasileiro e desde ao lado do Salles e agora, com seu retorno e com esta nova roupagem de falar sobre o Quadrinho, mostrando suas nuances, seu universo, sua diversidade. Este seu site é mais uma grande contribuição e um apadrinhamento dos artistas e demais valores espalhados neste Brasil, eu me sinto honrado em participar de tão nobre espaço.

Conheça mais sobre o incrível trabalho de Lancelott AQUI!

Entrevista :

2 comentários:

  1. Meus parabens. Lancelott é possui um talento incrivel realmente!

    ResponderExcluir
  2. É sempre bom existirpessoas que nos incentivam a acreditar nos quadrinhos nacionais

    ResponderExcluir